Author

Jaufran

Cofundador e presidente do Instituto Filipe Camarão, principal organização e think tank conservador do estado do Rio Grande do Norte, Jaufran Siqueira é cristão, palestrante, empresário e apresentador do Expresso Nacional. Dirigente partidário Pró-Bolsonaro.

ONU-Desktop-2
Sociedade,

A ONU está normalizando a pedofilia: o Deep State está livre para explorar seus filhos

Por Dave Hodges [*]

O Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos está sancionando uma revolução sexual que culminará com a legalização e o apoio entusiasmado do transgenerismo, mas também apoiará a legalização da pedofilia. À medida que oDeep Stateestá mais ativo em seu papel no “PedoGate”, podemos esperar mais contra-ataques, como a legalização da pedofilia.

DoThe New American:

O Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas”, que conta com algumas das ditaduras mais implacáveis do mundo como membros, provocou uma indignação global na semana passadaao votar para nomear um czar da ONUpara supervisionar a normalização do homossexualismo e do transgenerismo em todo o mundo.

(…) De acordo com oserviço de propaganda da ONU, o desacreditado “Conselho dos Direitos Humanos” da ONU debateu a medida por quase quatro horas em 30 de junho antes de adotar o esquema em uma disputa contenciosa. Apenas 23 governos e regimes membros votaram a favor da criação do novo czar, enquanto 18 votaram contra e seis se abstiveram. A medida foi adiada por uma rede degovernos comunistas e socialistasbem unidos na América Latina, com vínculos estreitos com gruposterroristas marxistas,globalistas ocidentais,Moscou e Pequim.Vários governos europeus e outros membros do “Núcleo Duro do Grupo LGBT”, que incluem Obama e a União Européia, também tiveram um papel preponderante ao empurrar o esquema à partir de fora da provisão dos “Direitos Humanos” da ONU.“Pela primeira vez, trabalhar nesta questão [a normalização da homossexualidade e do transgenerismo] será efetivamente institucionalizada no Conselho de Direitos Humanos”, disse a ONU()”.

(…) comemorou como um “grande avanço para os direitos humanos nos Estados Unidos.” “As medidas que ele defendeu aqui — incluindo novas leis para proteger as pessoas contra a discriminação — são as mesmas medidas que hoje defendemos para os governos de todos os lugares.” Ironicamente , o mérito para o estuprador infantil chegou justo quandoos exércitos da “paz” da ONU enfrentavam uma indignação global por violar de forma sistemática e explorar sexualmente crianças em todo o mundo.

Anos atrás, escrevi sobre o fato de que a NAMBLA estava defendendo a legalização da pedofilia. Você se importa de adivinhar quem é o maior contribuidor? Veja o seguinte:

[O maior contribuinte da NAMBLA é George Soros. O Partido Libertário apoia uma reforma da Era do Consentimento. Por favor, se instrua sobre isso.]

O que vem a seguir é um exemplo de como os acadêmicos falam sobre pedofilia. Em breve a prática, assim como transgêneros aterrorizando meninas em banheiros femininos, torna-se a norma.

“O interesse pedófilo é natural e normal para machos humanos”, afirmou a apresentação. “Pelo menos uma minoria considerável de homens normais gostaria de fazer sexo com crianças (…) Os machos normais ficam excitados por crianças”.

Alguns artigos amarelados dos anos setenta ou início dos anos oitenta, era de celebridades abusivas e a infame PIE, oPaedophile Information Exchange(Troca de Informação Pedófila)? Não. Anônimos comentadores em algum site ilegal? De novo, não.

A declaração de que a pedofilia é “natural e normal” foi feita não há três décadas atrás, mas em julho [do ano] passado. Não foi feito em privado, mas como uma das reivindicações centrais de uma apresentação acadêmica entregue, a convite dos organizadores, a muitos dos principais especialistas da área em uma conferência realizada pela Universidade de Cambridge.

Outras apresentações incluíram “Liberar o pedófilo: uma análise discursiva” e “Perigo e diferença: as apostas da hebefilia”.

Hebefilia é a preferência sexual por crianças na puberdade precoce, tipicamente de 11 a 14 anos de idade.

A organização mais hedionda da América é a Nambla. Nambla é abreviação da North American Man-Boy Association (Associação Norte Americana do Amor entre Homens e Meninos) e sua declaração de identificação é “sexo antes dos 8 ou será muito tarde”.

Estamos a caminho de o país permitir e até mesmo incentivar o sexo com crianças. O último tabu está sendo eliminado.

Agora é tolerado que as criaturas com uma estrutura de cromossomo XY possam entrar em banheiros de menininhas, sob o pretexto de ser um transgênero e aterrorizar essas meninas ao estilo George Soros. Seu filho está prestes a se tornar parte de um mundo no qual está despreparado para viver.

Quanto tempo durará até que empregados que têm sexo com crianças sejam protegidos com tanto ímpeto quanto a questão dos transgêneros nos banheiros.. Não, isso não é hipérbole, é uma preocupação legítima. A Associação Norte Americana de Amor entre Homem e Menino (NAMBLA) começa a aparecer proeminente nesta imagem. No passado, uma das suas frases patenteadas era “sexo antes dos oito, ou será muito tarde”. Esta é uma tentativa óbvia de remover a última proibição pervertida do nosso código legal, bem como nossas defesas sociais para proteger nossos filhos. As palavras não podem descrever quão doentes e pervertidas essas pessoas realmente são. E antes de você pensar que isso nunca poderia se tornar uma realidade, considere que o globalista,George Soros, dá dinheiro ao NAMBLA. Se isso não é suficientemente relevante para você, perceba queKevin Jennings, um oficial do Departamento de Educação de Obama, e um amigo íntimo de Hillary Clinton também participaram desse grupo.

“Qualquer idade? Poderia o último tabu ser removido permanentemente? Você quer dizer que eu não tenho que esconder o fato de que eu sou pedófilo?”

Impulsionar o gênero neutro e agregar a pedofilia dentro do arcabouço de proteção jurídica a homossexuais já está acontecendo. ONew York Timesafirma publicamente que a pedofilia não é um crime. AACLU(União Americana Pelas Liberdades Civis) está defendendo ativamente a Nambla e simpatizantes de pedófilos.

[*] Dave Hodges. “The UN Is Normalizing Pedophilia: The Deep State Is Free to Prey Upon Your Children”. The Common Sense Show, 14 de Junho de 2017.

Tradução:Cássia H. (Tradutores de Direita)

Revisão:Patrícia Maragoni

Política,

Donald Trump: 10 notícias que a mídia escondeu até agora

1) O Presidente Donald Trump está transformando decisivamente o judiciário americano, para o qual ele já nomeou cerca de 60 juízes comprometidos com a defesa da Constituição Americana e contrários ao ativismo judicial, uma das maiores pragas enfrentadas hoje pelas nações ocidentais.

2) Mesmo tendo muitas desculpas à sua disposição, ele também tem demonstrado sua determinação e persistência na tentativa de cumprir sua promessa de libertar o povo americano do peso do Obamacare, o fracassado e custoso sistema de saúde criado por Barack Obama.

3) Fora do país, no Oriente Médio, uma coalizão de guerrilheiros curdos e árabes apoiada pelo governo americano retomou a cidade de Raqqa do domínio do Estado Islâmico, coroando uma série de vitórias sobre o grupo terrorista, que também já foi expulso de Mossul e Hawija.

4) Ainda no âmbito das relações exteriores, Steve Bannon, que segue sendo um dos aliados mais importantes do presidente, conseguiu convencer ninguém menos do que Henry Kissinger a se juntar a ele em um projeto de conscientização sobre os riscos econômicos e geopolíticos que a China representa para os EUA.

5) Todos os indicadores continuam apontando para uma melhora substancial da situação econômica do país, o que possibilitou o índice Dow Jones a superar os 23 mil pontos pela primeira vez na história e permitiu que as famílias americanas voltassem a experimentar ganhos reais em seu poder de compra pela primeira vez em muitos anos.

6) No âmbito das disputas com o Deep State e contra a campanha de desinformação da grande mídia, Trump também recebeu duas boas notícias.
a. O FBI divulgou uma série de documentos que comprovam que James Comey havia decidido inocentar Hillary Clinton antes mesmo do início da fase mais substancial das investigações de seus e-mails, o que mina a credibilidade do ex-diretor do FBI e evidencia o uso da máquina estatal para beneficiar a adversária de Trump na eleição de 2016.

b. Adicionalmente, o FBI revelou que o Presidente Obama havia sido alertado sobre o esquema de propina envolvendo a Clinton Foundation e o governo russo, mas que, a despeito disso, optou por assinar o controverso acordo que colocou sob o poder de empresas estatais russas uma parte significativa do urânio americano — o que mostra que, ao contrário do que sugere a grande mídia, são os democratas que se envolveram em esquemas obscuros com os russos e não o atual presidente americano.

7) O presidente Trump anunciou a saída do Acordo de Paris que trata de um pseudo problema climático, mas alegou que poderia voltar se as condições fosse mais justas para o povo americano.

8) As taxas de desemprego dos EUA bateram recorde de baixa seguidas, como ocorreu em Abril, Maio e Junho.

9) Teve a coragem de falar o obvio no seu primeiro discuros na ONU deixando claro as mazelas do comunismo e mostrando que ainda há pessoas que creem nesse sistema político e o que passa a Venezuela, ignorada por diversos países.

10) E com um simples decreto, o presidente Donald Trump enterrou o Obamacare, o desastroso plano de saúde pública do expresidente muçulmanos Barack Obama.

Evidentemente, nenhuma dessas informações tem recebido destaque por parte dos jornalistas da grande mídia, ao menos não de uma maneira que deixe claro que cada um desses pontos representa uma grande vitória política para o Presidente Donald Trump. Como de costume, esses jornalistas estão muito mais interessados em avançar sua agenda do que em informar seus leitores; e, atualmente, essa agenda passa obrigatoriamente pela necessidade de propagar a idéia falsa de que Trump é um governante inepto e fraco, o representante de um modelo de governo que deve ser rechaçado a qualquer custo — algo em que, cada vez mais, apenas os desinformados conseguem acreditar.

Informações de Filipe G. Martins com a acréscimos nossos.

aecio-neves-02
Expresso Nacional, Política,

Entenda a afastamento e o retorno Aécio Neves ao Senado

O senador Aécio Neves retomou suas atividades parlamentares no Senado Federal após ser afastado pelo STF sob a suspeita de corrupção. Mas é preciso compreender tudo isso antes de tomar uma posição:

Em maio deste ano, surge a Operação Patmos que é um desdobramento da Operação Lava Jato, dado o tamanho dos esquemas de corrupção investigados e interligados a ela.

Essa operação explodiu a partir das gravações de Joesley Batista com o presidente Michel Temer e o senador Aécio Neves, este não só teria recebido propina como também estava pedindo mais R$ 2 milhões e ainda sugeriu a possibilidade de matar o próprio primo.

Nessa operação Fred, primo de Aécio, e Andreia Neves, irmã do senador, foram presos. Contudo o STF nega o pedido de prisão feito pelo procurador geral da república, mas manteve suspenso o mandato do parlamentar.

Ainda em maio outros grampos envolvendo o senador Aécio Neves são revelados, onde mostra que ele estava tentando interferi nas investigações pedindo a mudançã na PF e no Ministério da Justiça.

Em setembro o STF afasta de vez o senador Aécio Neves e impõe recolhimento noturno, além de proibir o parlamentar de manter contato com investigados.

E foi aí que o problema maior começou: o julgamento da ADI 5526, onde se pedia que medidas cautelares do artigo 319 do Código de Processo Penal fossem interpretadas segundo a Constituição em virtude do que diz o artigo 53 da CF que afirma que nenhum congressista poderá ter sua atividade parlamentar impedida, salve por flagrantes de crimes inafiançáveis.

O STF julgou parcialmente procedente, ou seja, disse que à Corte cabia a competência de aplicar quaisquer medidas cautelares, mas se essas interferirem no execício parlamentar do congressista, a decisão teria que ser chancelada pela sua respectiva casa Legislativa, no caso de Aécio Neves, o Senado Federal.

E foi aí que no último dia 17 de outubro os senadores votaram pela admissibilidade da decisão do STF de manter o senador Aécio Neves afastado ou não. O resultado: Senado derruba a decisão e Aécio Neves é reintegrado ao seu mandato.

maxresdefault (1)
Expresso Nacional, Política,

Entenda o caso Cesare Batistti

O terrorista e ativista comunista italiano, Cesare Batistti, tem causado um desconforto diplomático entre Brasil e Itália desde o dia que deveria ter sido extradito, mas que o companheiro Lula resolve conferi-lhe abrigo em terras tupiniquins.

Mas o que exatamente aconteceu com ele?

– 1970: Envolve-se com grupos de luta armada de extrema esquerda
– Junho de 1979: prisão de Cesare Battisti em Milão como parte de uma investigação pelo assassinato de um joalheiro.
– 1981: Battisti é condenado a 12 anos e 10 meses de prisão por “participação em grupo armada” e “ocultamento de armas”. Ele escapa da prisão
de Frosinone, perto de Roma, e se refugia na França.
– 1982: fuga para o México.
– 1985: o presidente francês François Mitterrand se compromete a não extraditar os ex-ativistas de extrema-esquerda italianos que rompessem
com o passado, embora tenha excluído os que cometeram “crimes de sangue”.
– 31 de março de 1993: a corte de apelações de Milão condena Battisti à prisão perpétua por quatro “homicídios agravados” praticados entre
1978 e 1979 contra um guarda carcerário, um agente de polícia, um militante neofascista e um joalheiro de Milão (o filho do joalheiro ficou
paraplégico, depois de também ser atingido).
– 20 de julho de 2001: Battisti pede naturalização francesa. Uma decisão favorável de julho de 2003 foi anulada em julho de 2004.
– 20 de dezembro de 2002: demanda italiana de extradição.
esquerda. É libertado, mas mantido sob vigilância. A câmara de instrução da corte de apelações de Paris se declara favorável à extradição.
Battisti recorre. O italiano não se apresenta à polícia como exige o sistema de vigilância judicial, e passa para a clandestinidade. A promotoria da
corte de apelações de Paris expede uma ordem de detenção. O recurso de Battisti é rejeitado, e a extradição para a Itália torna-se definitiva. O
primeiro-ministro francês Jean Pierre Raffarin assina o decreto de extradição; Battisti foge para o Brasil.
– 2005: o Conselho de Estado da França confirma a extradição. Os advogados de Battisti apresentam um recurso ante a Corte Européia de
Direitos Humanos contra o decreto de extradição.
– 18 de março de 2007: detenção de Battisti no Rio de Janeiro. Desde então, cumpre prisão preventiva para fins de extradição na penitenciária da
Papuda, em Brasília.
– 2009: o então ministro da Justiça, Tarso Genro, concede status de refugiado político a Battisti, baseado no ‘fundado temor de perseguição por
opinião política’, contrariando decisão do Comitê Nacional para os Refugiados (Conare). O status não permite o seguimento de qualquer pedido
de extradição baseado nos fatos que fundamentaram a concessão de refúgio.

Em fevereiro, o STF nega pedido de liminar do governo italiano
contra a decisão de conceder refúgio a Battisti. Após a votação pela extradição, os ministros decidiram também pelo placar de 5 votos a 4 que a
decisão final sobre a extradição caberia ao presidente Lula.

– 2010: ex-presidente Lula nega pedido de extradição.
– 2011: O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu, por seis votos a três, manter a determinação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que
no dia 31 de dezembro do ano passado, negou o pedido de extradição do ex-ativista de esquerda Cesare Battisti.

– 2015: Juíza da 20ª Vara Federal de Brasília atende a pedido do Ministério Público e determina a deportação de Battisti. A defesa recorre da decisão.

– 2017: Na quarta (4), é detido em Corumbá (MS) após tentar fugir do Brasil; Na sexta (6), recebe habeas corpus

O criminoso Cesare Batistti, autor de pelo menos 4 homicídios, passou o últimos anos fugindo da justiça. Fungindo do julgamento o qual foi submetido e condenado pelo seus crimes, e só encontrou asilos em governos alinhados não com a democracia e a justiça, mas sim com sua ideologia comunista, revolucionário e sangrenta.

É preciso compreender também que os homicídios podem ser considerados como graves crimes de delito comum ou ainda serem enquadrados como atos contrários aos princípios e propósitos da ONU e, com base na Convenção Internacional de 1951, bem como na Lei nacional 9.474/97, a prática de crimes assim caracterizados impedem o reconhecimento de uma pessoa como refugiado. Assim, como reconheceu o ministro da justiça da epoca, Tarso Genro, que Batistti havia cometido assassinatos na Itália, o status de refugiado é ilegal.

O reconhecimento da condição de refugiado não é definitivo; poderá ocorrer ainda a verificação de cláusulas de cessação ou de perda da condição por decisão do Comitê Nacional para os Refugiados ou do Ministro da Justiça

A extradição de um refugiado, bem como o uso indevido da proteção do refúgio pelo reconhecimento fora das hipóteses legais representa um descumprimento da regra prevista na Convenção de 1951, o que pode gerar conseqüências negativas no plano internacional, pois, criando um precedente negativo, poderia debilitar internacionalmente a instituição do refúgio, seja pelo descrédito daqueles que buscam o refúgio ou por contribuir com o aumento da discriminação enfrentada pelos refugiados no país de acolhida

Infelizmente, hoje temos juízes alinhados com os ideais de esquerda e comprometidos não com a Constituição, mas sim com o proprio ativismo jurídico de cada um. Enquanto que muitos de nossos políticos estão calado apenas observando a saia justa diplomática, antidemocrátiva e ilegal que Lula colocou nosso Brasil.

maxresdefault2
Economia, Expresso Nacional,

Propostas de Bolsonaro para a economia

O deputado Jair Bolsonaro, favorito para vencer as eleições presidenciais de 2018 em virtude de sua atividade parlamentar estar em acordo com o que é prioritário para a população e não ter histórico de corrupção, é francamente atacado em virtude da sua sinceridade de não dominar ou não ter um plano de salvação para a economia nacional.

Seus críticos, tentando associar uma catástrofe econômica caso seja eleito, chegam a dizer que Bolsonaro é economicamente idêntico ao PT. Contudo desconsideram o que realmente pensa e diz o deputado carioca a respeito do que faria no campo econômico caso fosse eleito presidente do Brasil.

Primeiramente, o deputado se autodeclara como um liberal, mas não no campo social, mas, sim, econômico. Ou seja, ele defende que o desenvolvimento econômico de um país deve ficar a cargo da livre iniciativa, que quanto menos o Estado intervir nas decisões dos indivíduos, mais próspero será a nação. Para Bolsonaro, quem tem que gerar emprego é o empresário, e não o político.

O deputado é a favor de independência do Banco Central, é favor da privatização e até extinção de certas estatais, pois reconhece que elas são meios de corrupção, servindo apenas de cabide de empregos para os aliados políticos do mandatário vigente.

Reconhece que obras infraestruturais, inclusive no setor energético, se possível, devem ser feitas pela iniciativa privada. É contra os subsídios públicos às grandes corporações — um dos meios de corrupção investigados pela Lava Jato.

Defende um ponto final nas relações promíscuas de trabalho, redução de impostos, burocracias, parcerias público-privadas, abertura para investimentos e diálogos com EUA, Japão e Coreia do Sul, defendeu o fim da Lei Rouanet.

Defende uma solução para questão indígina sem que prejudique o agronegócio e lei antiterrorismo que atinja o MST.

Sem contar, claro, que os forças policiais estejam mais bem equipadas para enfrentar o crime e que um cidadão bem possa se armar para defender seu patrimônio, afinal de contas, se temos que fechar nosso comércio às 17h por medo de assaltos noturos, perdemos cerca de 4h de faturamento, no mínimo.

Talvez Bolsonaro não entenda de economia, mas ao menos ele entende de uma coisa: sabe que precisa aprender mais e tem se cercado de conselheiros, de pessoas que são mais competentes do que ele no campo econômico para orientá-lo quanto ao que deve ser feito nessas áreas.

Pode esperar mais, pois esse é apenas o deputado Bolsonaro falando. Quando o candidato à Presidência da República apresentar seu Plano de Governo, então veremos um verdadeiro estadista, alguém que preza pela dignidade do povo brasileiro disposto a tirar nosso país da fossa que o PT, PSDB e PMDB colocaram.

A desproporção esquerda e direita na UFRN
Expresso Nacional, Política,

O furacão chamado Fátima Bezerra

A senadora Fátima Bezerra (PT-RN), desde que eleita em 2003 para o Congresso Nacional, vem demonstrando ser um verdadeiro furacão, causando mais danos a sociedade brasileira do que todas as catástrofes naturais no mesmo período.

Foi sustentação do governo mais corrupto da história mundial, atuou e atua para que o aparelhamento da máquina estatal seja total afim de que tenha o total poder sobre as instituições e, consequentemente, perpetuar o seu partido no poder.

Durante a década de 90, assim como todo o Partido do Trabalhadores, levantou a bandeira da ética e do combate ao mau uso da máquina pública, contudo, como haviam alertado o General Figueiredo e o Ronaldo Caiado na década de 80, assim que esse partido [PT] chegasse no poder teríamos o total desastre da nação brasileira, e que o discurso da ética ficaria claro que nada mais era do que uma mera bandeira aparente.

Contudo o que me deixa preocupado é uma certa omissão da imprensa, principalmente do estado pela qual Fátima Bezerra é senadora, em eximi-se de relatar a verdadeira faceta da parlamentar petista.

Em 2008 recebeu, através do PMDB do RN, a quantia de R$ 125 mil, declarados, mas ilícitos para financiar sua mais amarga derrota eleitoral quando tentou, pela última vez, ser prefeita de Natal, mas perdeu no primeiro turno.

Em 2015 foi noticiado que a Andrade Gutierrez e Engevix Engenharia, empreiteiras envolvidas até o pescoço em pagamento de propinas para políticos, repassaram R$ 475 mil e R$ 50 mil a campanha de Fátima Bezerra ao senado em 2014, respectivamente.

Neste ano, novamente Fátima Bezerra vira notícia no cenário nacional quando é citada como a maior beneficiadora dos pagamentos da JBS, aquela dos irmãos Batista, no Rio Grande do Norte com mais de R$ 1 milhão recebidos para financiar sua campanha em 2014.

Como se ainda fosse pouco, em uma atitude totalmente antidemocrática e tenebrosa, a senadora Fátima Bezerra ocupa a mesa do plenário do Senado Federal impedindo, em vão, que a Reforma Trabalhista fosse votada. Não adiantou muito. A única coisa que sobrou dela foi o registro tenebroso do seu gesto selvagem e animalesco de se alimentar.

Essas denúncias e suspeitas merecem a devida cobertura de qualquer órgão da imprensa.

Antes fosse somente isso: a senadora votou contra a PEC 55/2016 que estabelecia um regime de Responsabilidade Fiscal mais austero afim de evitar os crimes que a ex-presidente Dilma Rousseff havia cometido no decorrer do seu mandato.

Votou contra a Reforma Trabalhista que estabelecia liberdade para o empregado e geração dos empregos que foram destruídos pelo PT.

Votou contra a PLS 131/2015 que desobriga a Petrobras a ter que participar em, no mínimo, 30% da exploração e produção em todos os poços de pre-sal, ou seja, para Fátima a Petrobras tem, mesmo que sem condições financeiras para isso, ter que participar de um negócio de caráter duvidoso. Novamente contra a responsabilidade fiscal com o dinheiro do contribuinte.

Votou a favor da PLS 555/2015 que facilitava a indicação de políticos e sindicalistas para cargos de diretoria nas estatais do Brasil.

Votou contra a urgência do projeto de lei que acaba com o sigilo bancário das operações de financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), ou seja, ela votou para adiar a abertura da caixa preta do BNDES e assim todo o Brasil descobrir para onde tem sido enviado o suado dinheiro dos contribuintes.

Como se tudo isso ainda fosse pouco, Fátima Bezerra figura entre AS PIORES senadoras do Congresso, segundo o Ranking dos Políticos (www.politicos.org.br)

Política,

Estudo revela fragilidade de urnas eletrônicas

(AFP) Hackers podem ter se infiltrado facilmente nas urnas eletrônicas utilizadas nas eleições de 2016 nos Estados Unidos, e, provavelmente, tentarão fazê-lo novamente, diante da vulnerabilidade dos sistemas eletrônicos de voto, revelou nesta terça-feira um grupo de pesquisadores.

Segundo um relatório sobre manipulação de urnas eletrônicas, que inclui conclusões detalhadas de um congresso de hackers realizado em julho, existem numerosas vulnerabilidades que representam uma ameaça à segurança nacional.

Os investigadores analisaram os resultados do concurso de hackers “população votante”, organizado pelo congresso DefCon, em Las Vegas, que mostraram como as urnas eletrônicas podem ser comprometidas em questão de minutos.

“Estas máquinas são muito fáceis de hackear”, declarou Jeff Moss, fundador da DefCon, que apresentou o relatório no centro de análises Atlantic Council em Washington. “É um problema que não vai desaparecer, apenas se acelerar”.

Segundo o relatório, as vulnerabilidades das urnas eletrônicas mostradas no DefCon, que reúne especialistas em segurança, hackers, jornalistas e outros profissionais da área de informática, são apenas a ponta do iceberg.

Os investigadores destacaram que a maioria das urnas examinadas incluem ao menos um componente manufaturado, o que incrementa a possibilidade de introdução de vírus, inclusive antes de sua entrega.

“Esta descoberta significa que o acesso de um hacker (…) a uma urna eletrônica pode ocorrer inclusive antes de a máquina sair da linha de produção”, destaca o relatório.

Para os investigadores, “com o poder de se infiltrar na infraestrutura eleitoral em qualquer ponto da cadeia de produção, a capacidade de sincronizar e infligir dano em larga escala é uma possibilidade real”.

Segundo Harri Hursti, pesquisador do centro Nordic Innovation Labs e um dos autores do relatório, é impossível afirmar com certeza se os resultados das eleições de 2016 nos EUA foram manipulados ou não, porque muitos sistemas “não têm a capacidade” de ser auditados.

O relatório destaca que nos Estados Unidos cinco dos 50 estados funcionam completamente com urnas eletrônicas e sem voto impresso, e que outros nove estados operam quase da mesma forma.

“O única forma de saber se houve manipulação é a confissão do hacker. É possível fazer isto (adulteração das urnas) sem deixar as digitais”.

Segundo Douglas Lute, ex-embaixador americano na Otan e ligado à apresentação do relatório no Atlantic Council, as conclusões evidenciam “um assunto sério de segurança nacional que ameaça o coração da nossa democracia”.

A desproporção esquerda e direita na UFRN
Expresso Nacional, Sociedade,

A desproporção esquerda e direita na UFRN

Em julho deste ano, o jornal a Gazeta do Povo fez um levantamento a respeito da desproporcionalidade de autores de esquerda (socialistas e sociais-democratas) e direta (liberais econômicos e conservadores) nas 5 melhores universidades do país. No primeira relatório, onde o jornal analisou 10 autores, ficou constatado que havia mais autores de esquerda disponíveis nas bibliotecas das 5 melhores universidades do país do que de direita, cuja a proporção era de 4,2 títulos de esquerda para 1 de direita.

Fizemos o mesmo levantamento, mas restringimos nosso relatório a Universidade Federal do Rio Grande do Norte, que fez por outra ocupa o lugar de melhor universidade do nordeste.

Levando-se em conta os mesmo autores (incluirmos mais dois: Flávia Piovesan na esquerda e Olavo de Carvalho na direita), chegamos a mesma conclusão: são 4,3 títulos de esquerda para 1 de direita.

Ao todo, são 1360 títulos de autores de esquerda contra 311 de autores de direita presentes em todas as bibliotecas (a central e as setoriais) da UFRN.

 

Há mais livros de autores da Escola Austríaca de Economia no meu acervo pessoal do que em todas as bibliotecas da UFRN.

Nomes como o do maior filósofo brasileiro vivo, Olavo de Carvalho, e o um dos maiores nomes do conservadorismo mundial, Roger Scruton, são praticamente invisíveis diante do “mar vermelho” dos socialistas, comunistas e marxistas presentes nas prateleiras das bibliotecas da universidade.

No sentido contrário, Paulo Freire, o principal responsável pelo analfabetismo e os baixíssimos índices de desempenho educacional do Brasil, e o Karl Marx, mentor intelectual das mais de 150 milhões de mortes decorrentes das revoluções socialistas e comunistas implantadas em dezenas de países, tem sozinhos mais títulos disponíveis nas bibliotecas da UFRN do que todos os autores liberais e conservadores juntos.

Segue abaixo a lista dos 52 autores (26 de direita e 26 de esquerda) utilizados para comparação

Paulo Freire
Karl Marx
Michel Foucault
Vladimir Lenin
Jean-Paul Sartre
Eric Hobsbawm
Jürgen Habermas
Bertrand Russell
Noam Chomsky
Antonio Gramsci
Theodor Adorno
John Kenneth Galbraith
Walter Benjamin
Simone de Beauvoir
Rosa Luxemburgo
György Lukács
Herbert Marcuse
Flavia Piovesan
John Maynard Keynes
Leon Trotsky
Antonio Negri
Max Horkheimer
Slavoj Zizek
Che Guevara
Mikhail Bakunin
Pierre-Joseph Proudhon

247
230
151
75
73
70
57
56
56
45
41
40
37
35
21
20
19
19
15
12
10
10
7
6
6
2
Anísio Teixeira
José Ortega y Gasset
Raymond Aron
Karl Popper
Adam Smith
Alexis de Tocqueville
Paul Johnson
Xavier Zubiri
Louis Lavelle
Thomas Paine
Milton Friedman
Roger Scruton
Edmund Burke
Ludwig von Mises
Eric Voegelin
Carl Menger
Olavo de Carvalho
Friedrich Hayek
Russell Kirk
Whittaker Chambers
Frederic Bastiat
Thomas Sowell
Michael Oakeshott
Ayn Rand
Murray Rothbard
Richard Weaver
79
38
31
31
26
24
16
13
8
8
7
7
6
5
4
3
3
1
1
0
0
0
0
0
0
0

Fontes: Gazeta do Povo e UFRN
Autor e apresentador: Jaufran Siqueira
Edição de vídeo: Rodrigo Maker